Le Monde diplomatique Brasil publica artigo do presidente do CFA

Le Monde diplomatique Brasil publica artigo do presidente do CFA

Exemplo disso é o artigo do presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Wagner Siqueira, foi publicado no site “Le Monde diplomatique Brasil”

Por Redação 15/07/2018 - 23:33 hs
Foto: Reprodução
Le Monde diplomatique Brasil publica artigo do presidente do CFA
Presidente do CFA, Adm. Wagner Siqueira, e vice-presidente Carlos Henrique

Desde que assumiu a gestão do Conselho Federal de Administração, um grupo de administradores decidiu investir, também, na produção de conteúdos que mostram ao mundo a visão dos profissionais de gestão.

Exemplo disso é o artigo do presidente do Conselho Federal de Administração (CFA), Wagner Siqueira, foi publicado no site “Le Monde diplomatique Brasil” na sexta-feira (13/7), e aborda os limites aos excessos do capitalismo levando em consideração a forma desigual como é feito a distribuição da riqueza.

“O capitalismo vai cada vez mais longe, justamente por não se dirigir a lugar algum. O mercado não tem um objetivo global, ele não é nada mais do que o encontro de uma variedade indiscriminada de objetivos individuais que buscam se realizar simultaneamente a todo o tempo”, afirmou Wagner Siqueira.

No artigo, o autor faz analogia entre o sistema capitalista e o parasita, levando em consideração quando o indivíduo precisa viver à custa de alguém por pura exploração.

“Por ser eminentemente parasitário, o sistema capitalista só consegue prosperar se encontrar um organismo, ainda não explorado, que lhe forneça alimento. No entanto, não é capaz de fazer isso sem prejudicar o hospedeiro, o que resulta na destruição, paulatina, das condições de prosperidade e de sobrevivência deste. Por isso, avança sobre os planos de previdência e de saúde em todo mundo”, conclui o presidente.

Ainda no artigo é abordado sobre a moral do capitalismo, os limites e regras, a redistribuição dos ganhos e a exclusão social. Entre os subtemas, o presidente da autarquia também se refere ao “Papel do Estado” – que para ele – precisa ser justo tanto na redistribuição da renda criada pelo mercado, como no mundo empresarial.

Clique aqui e leia o artigo completo ou acesse o link do artigo em PDF.