Empresa do setor farmacêutico tem único dono, compliance e está conquistando o Brasil

Como a MEDCOMERCE se tornou a

Por Redação 02/06/2018 - 21:24 hs
Foto: Reprodução
Empresa do setor farmacêutico tem único dono, compliance e está conquistando o Brasil
Maurício Braga, gerente de negócios

Fundada em 1992, a empresa MEDCOMERCE atua no comércio de distribuição de medicamentos e produtos hospitalares. Possui unidades de distribuição em Goiânia, Brasília e Cuiabá. Com crescimento econômico, contábil e financeiro, de duas casas decimais por ano, e foco no cumprimento das normas de compliance, podemos dizer que a MEDCOMERCE é uma empresa séria no mercado farmacêutico.

Com excelentes referências mercadológicas, o portal de notícias DiárioCG Comunicação e Negócios conversou com o profissional Maurício Braga, gerente de negócios da empresa nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Ele está há 10 anos da empresa e na entrevista abordamos a visão empreendedora da empresa, diferencial de mercado e porque a MEDCOMERCE se encanta cada vez mais pelo mercado sul-mato-grossense.

[Para facilitar a leitura: O que é compliance? Comply, em inglês, significa “agir em sintonia com as regras”, o que já explica um pouquinho do termo. Compliance, em termos didáticos, significa estar absolutamente em linha com normas, controles internos e externos, além de todas as políticas e diretrizes estabelecidas para o seu negócio. É a atividade de assegurar que a empresa está cumprindo à risca todas as imposições dos órgãos de regulamentação, dentro de todos os padrões exigidos de seu segmento. E isso vale para as esferas trabalhista, fiscal, contábil, financeira, ambiental, jurídica, previdenciária, ética, etc].

 

Confira e entrevista:

DIÁRIOCG - Qual o diferencial da MEDCOMERCE?

MAURÍCIO BRAGA - Nosso negócio é pautado na ética e transparência. Os pilares da empresa são norteados pelo compliance, que hoje é um dos requisitos básicos para ser competitivo no mercado farmacêutico. A empresa sempre traz inovações em produtos, novas marcas, parceiros e tem competitividade e preço. Com essas informações, o gestor público, digamos o comprador, pode tomar uma decisão.

DIÁRIOCG - Quem é o cliente principal da MEDCOMERCE?

MAURÍCIO BRAGA - Atuamos com clientes públicos e privados. O setor público possui uma metodologia mais específica de compra, que é através do registro de preço, que são os pregões e leilões, onde o poder público sempre paga pelo menor preço.

DIÁRIOCG - Qual a linha de produtos que tem mais aceitação no mercado sul-mato-grossense?

MAURÍCIO BRAGA - Atuamos em algumas frentes de atividades de negócios, sendo medicamentos, materiais de consumo, equipamentos médicos, mas o mercado possui outras linhas de atuação, porém atuamos comente com essas que citei.

DIÁRIOCG - Como é o atendimento da empresa em Mato Grosso do Sul. Como é o perfil da equipe que atende aqui e como a empresa faz para se relacionar com o mercado local, desde a apresentação dos produtos até a entrega?

MAURÍCIO BRAGA - O processo da MEDCOMERCE, hoje em dia é bem estabelecido. Quando uma pessoa integra nossa equipe, ela vai até a empresa, conhece a área em que irá atuar e recebe explicações sobre os pilares da empresa, visão e o compliance, que orienta o nosso negócio.

A partir desse momento, ela está apta a atender as necessidades do mercado, seja ele público ou privado. Estamos passando por um processo de expansão e nosso objetivo é reduzir cada vez mais o tempo de entrega do produto ao cliente.

Hoje sabemos que o estoque que regula o hospital acaba tendo um custo efetivo. Então, o que pretendemos é aumentar a nossa eficiência para que esse produto chegue o mais rápido possível ao cliente. E claro, para isso, precisamos de uma equipe altamente capacitada e treinada para poder dar esse atendimento aos nossos parceiros e clientes.

DIÁRIOCG - Quando você fala da gestão da empresa, para atender e entregar o produto de uma maneira rápida, você avalia o lado oposto? Digamos, como o mercado está se comportando para poder ter agilidade no pagamento da empresa? Essa recíproca está normalizada, digamos, dentro de um padrão aceitável ou o momento econômico do país afetou muito o mercado de atuação da MEDCOMERCE?

MAURÍCIO BRAGA - Essa é uma preocupação. Vender, propriamente, está fácil. Basta ter um bom produto e que ele seja aceitável. Porém, o maior desafio é manter uma carteira de clientes que pagam em dia. Mas sabemos que temos que compreender a realidade do mercado. Entender que o momento está crítico e nós precisamos estar cada vez mais próximos dos clientes. Temos que sentar, conversar, entender as necessidades, propor alternativas que sejam viáveis para eles e para nós. Ou seja, estamos conversando individualmente com eles para buscar um entrosamento e um comprometimento enquanto clientes, e assim reduzir essa inadimplência e esse tempo de pagamento.

DIÁRIOCG – Sabemos que estar no mercado não é somente apresentar o portfólio de produtos. Diante disso, MEDCOMERCE tem inteligência administrativa para atuar nesse mercado de desafios?

MAURÍCIO BRAGA - Cada local tem sua carteira de clientes. Alguns compram por menor valor, outros compram por quantidade, outros compram por marca, e muitos outros casos. O que precisamos fazer é estar dentro da realidade do cliente, saber da sua característica, o que ele compra, para que possamos atender as demandas de forma adequada. Não adianta você comprar uma coisa que o seu recurso financeiro não te permite. Então, fazemos o serviço de mapear as necessidades e ofertar aquilo que está ao nosso alcance, sempre avaliando as condições do cliente. Essa estratégia tem funcionado na empresa.

DIÁRIOCG - A empresa conta com alguma metodologia comercial do mercado internacional para atuar no mercado local?

MAURÍCIO BRAGA - Nossa empresa tem mais de 25 anos de mercado. Temos parcerias com várias empresas multinacionais. Obviamente temos uma expertise padrão internacional. Adquirimos isso em nosso dia a dia.  Não atuamos no mercado internacional, mas temos conhecimento de como é.

DIÁRIOCG - A empresa e seus parceiros têm a tradição de investir em pesquisa?

MAURÍCIO BRAGA - A MEDCOMERCE é uma atividade meio. O laboratório farmacêutico, que é pesquisa, desenvolve os produtos e esses precisam chegar a ponta. É nesse momento que atuamos, sendo uma distribuidora de medicamentos com uma capilaridade de atuação ampla, que facilita o acesso do paciente aos produtos. Aquela inovação que o laboratório produz, nós fazemos isso chegar até a população. Somos uma ferramenta de expedição dos produtos que o laboratório faz. 

DIÁRIOCG - Em relação a competitividade. Diante da onda de denúncias que vem tomando conta dos noticiários brasileiros, onde empresas e agentes públicos estão sendo condenados por corrupção, como a empresa está lhe dando com esse tipo de assunto?

MAURÍCIO BRAGA - Mudar a cultura não é do dia para a noite. Essa era uma cultura que estava implantada no Brasil, mas parece que está mudando. No caso da MEDCOMERCE, realizamos um trabalho sério e muitas vezes abrimos mão de atuar em alguns mercados, deixando de aproveitar as oportunidades justamente porque queremos atuar em uma situação que seja transparente, não somente para o nosso negócio, mas para toda a sociedade. Não temos envolvimento com nada disso que está acontecendo.

DIÁRIOCG - Mas esse volume de corrupção no país tem refletido no mercado lá fora. Os parceiros de vocês comentam essa triste realidade do Brasil?

MAURÍCIO BRAGA - Sem dúvida. Hoje, nenhuma multinacional quer seu nome envolvido. Essa é a regra geral. Afeta lá fora? Claro que sim, mas é preciso que as mudanças aconteçam. As multinacionais escolhem seus parceiros e isso acaba tirando do mercado empresas que não são sérias. A MEDCOMERCE é uma empresa séria, pois está há 25 anos atuando com ética e transparência.

DIÁRIOCG - Em relação ao momento econômico que estamos passando, como você avalia o mercado sul-mato-grossense, principalmente, em relação ao poder de compra dos clientes?

MAURÍCIO BRAGA - Eu já atuo nesse mercado há exatamente dez anos. Houveram mudanças mesmo porque o cenário econômico mudou. Mas acreditamos muito aqui. É um mercado próximo, tem excelentes clientes em potencial. Acredito que, ao meu modo de ver, o mercado mudou, mas continua atrativo com grandes condições de compra e negócios.

DIÁRIOCG - A MEDCOMERCE tem centro de distribuição no Mato Grosso do Sul?

MAURÍCIO BRAGA - Não temos. Para ter um centro de distribuição você precisa fazer muita conta. Finanças, logística, tributos, tudo isso, para que você tenha possibilidades de ter um CD. Diante disso, optamos por atuar no Centro-Oeste e, mesmo nossa sede sendo em Goiás, o atendimento a Mato Grosso do Sul será feito por Cuiabá (MT), pois estamos concluindo o projeto lá e no máximo 60 dias estaremos operando.

DIÁRIOCG - Mas qual foi o diferencial do MT em relação a MS para que o centro de distribuição fosse em Cuiabá e não em Campo Grande, uma vez que o nosso estado vizinho, Paraná, é um forte cliente de vocês?

MAURÍCIO BRAGA - Como nosso negócio está mais voltado para a parte do Centro-Oeste, e hoje Mato Grosso apresenta uma melhor malha aérea, o diferencial facilita mais o acesso e rapidez, e isso me atende melhor junto ao cliente final. Há uma grande possibilidade de ter algo no mercado sul-mato-grossense, mas a empresa está planejando isso. 

DIÁRIOCG - O investimento da empresa em Cuiabá (MT), na instalação do centro de distribuição, teve incentivos fiscais por parte do governo local?

MAURÍCIO BRAGA - Com muito orgulho e satisfação, nós investimos lá sem a necessidade do incentivo fiscal. Tudo foi com recursos próprios e sem envolvimento de bancos e financeiras. Nossa estrutura está dentro dos padrões de legislação, com tudo regularizado junto aos órgãos fiscalizadores, entre outros. Quem faz esse tipo de investimentos são empresas bem geridas, controladas, que tem uma estrutura eficiente, como é o nosso caso.

DIÁRIOCG - O que a MEDCOMERCE espera do estado de Mato Grosso do Sul?

MAURÍCIO BRAGA - A visão do dono da empresa, uma pessoa que eu tenho muita admiração e respeito, mesmo porque tem uma visão empreendedora, ele sempre disse o seguinte: “Eu não quero ser o maior. Eu quero ser o melhor”. Então, essa é a nossa filosofia. Não queremos ser a que tem mais volume ou a maior, mas a que é a melhor e que tem mais referências. Queremos ser referência no Mato Grosso do Sul, cada vez mais.

Em relação a aceitação dos nossos produtos, digo o seguinte: pela legislação, não podemos ter contato com o consumidor de medicamentos pessoa física, mas sabemos, por meio dos nossos clientes pessoas jurídicas (hospitais, clínicas, etc.), que nossos produtos fazem a diferença na vida dos pacientes, mesmo porque temos padrões altamente eficientes, com estrutura adequada, desde a temperatura do local de onde enviamos os medicamentos, até o local de entrega aos clientes.

DIÁRIOCG - Quantos colaboradores atuam na MEDCOMERCE?

MAURÍCIO BRAGA - No mercado de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, temos 22 colaboradores. Em relação a toda a empresa no país, digo o grupo, somos em 400 pessoas atuando. Nossa matriz fica em Goiânia, com filiais em Brasília e Cuiabá. A empresa tem 25 anos e todo esse tempo é de propriedade da mesma pessoa.

DIÁRIOCG - Há quanto tempo você atua na empresa?

MAURÍCIO BRAGA - Estou há 10 anos.  Comecei como representante comercial, depois fui atuar na parte do setor público, na área de licitações, e assumi o desafio de ser gerente de negócios. Sempre gostei de desafios. É isso que me move e tenho perfil de atuar nessa área.

DIÁRIOCG - Qual sua mensagem para os gestores de hospitais, clínicas e demais clientes da MEDCOMERCE?

MAURÍCIO BRAGA - Queremos servir nossos clientes com transparência e clareza. Todos que fizerem negócios conosco estão comprando seriedade e qualidade. Temos um diferencial em relação ao mercado, pois não vendemos somente produto. Oferecemos valor ao produto. Essa é a principal mensagem aos nossos parceiros e clientes.

******

Serviço: Para saber mais detalhes sobre a empresa, acesse o site: http://medcomerce.com.br/