AJE-MS apresenta na SEMAGRO o andamento do programa Primeira Empresa

A primeira etapa pretende envolver 500 pessoas, sem restrição de idade

Por Redação 21/05/2018 - 17:56 hs
Foto: Assessoria
AJE-MS apresenta na SEMAGRO o andamento do programa Primeira Empresa
Presidente da AJE-MS, Sullivan Vareiro, secretário Jaime Verruck e diretores da AJE

A Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) recebeu nesta segunda-feira (21) a diretoria da AJE/MS (Associação de Jovens Empreendedores de Mato Grosso do Sul), para tratar sobre ações que beneficiam os pequenos empresários do Estado.

O presidente da AJE/MS, Sullian Vareiro apresentou ao secretário Jaime Verruck e equipe da Semagro, o andamento do Programa Primeira Empresa que quer ensinar os jovens a empreender. O programa é subsidiado pelo Fundo de Defesa e de Reparação de Interesses Difusos Lesados (Funles), administrado pela Semagro.

A primeira etapa pretende envolver 500 pessoas, sem restrição de idade (basta ter mais de 18 anos e ser residente em Mato Grosso do Sul), que queiram abrir a primeira empresa, sair da informalidade ou já tenham firma aberta a menos de dois anos.  

Além disso, a AJE aproveitou a reunião para pedir a reativação do Fórum Regional Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porto de Mato Grosso do Sul e pedir uma cadeira para representar os jovens empreendedores. “Entendemos que esse Fórum é muito importante para estimular o setor, por que o empresário quer se sentir assistido e representado”, afirma Sulivan.

Titular da Semagro, o secretário Jaime Verruck destaca que a proposta é relevante e será avaliada. “O pedido é muito bem-vindo e, por nós, a cadeira será destinada sim, mas vamos avaliar a questão. Paralelo a isso, vamos convocar uma nova reunião do fórum em 30 dias”.

Verruck citou ainda que as micro e pequenas empresas são um segmento importante para a economia estadual e que, desde o início, tem sido prioridade do Governo do Estado por meio do Propeq (Programa Estadual da Micro e Pequena Empresa). Implantado em 2015, entende as micro e pequenas empresas como um importante sustentáculo da economia com grande impacto na geração de emprego e renda que justifica um tratamento diferenciado.