Com salários em dia, MS tem baixo índice de desemprego, diz IBGE

Mato Grosso do Sul terminou o quarto trimestre de 2017 com a segunda taxa de desocupação mais baixa do País

Por Redação 14/03/2018 - 01:23 hs
Foto: Reprodução
Com salários em dia, MS tem baixo índice de desemprego, diz IBGE
Salários em dia pagos pelo Governo do Estado ajuda na economia em MS

Mato Grosso do Sul terminou o quarto trimestre de 2017 com a segunda taxa de desocupação mais baixa do País, ou seja, com queda no percentual de desempregados para 7,3%. Os dados são da Pesquisa por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), compilados pelo IBGE.

O percentual dos últimos três meses de 2017 indica significativa queda em relação aos últimos meses e quase se iguala aos 7% do segundo trimestre do ano passado. O IBGE estima que Mato Grosso do Sul tenha 101 mil desempregados e 1.287 pessoas trabalhando, com 28 mil a mais que no trimestre anterior.

No último trimestre do ano passado houve expansão de 15,2% no percentual das pessoas que trabalham por conta própria. Conforme os dados o nível de ocupação chegou a 60,7% e os setores de destaque na geração de novos postos de trabalho foram: alojamento e alimentação (19,1%), indústria em geral (7,4%), agropecuária (7,2%), transportes, armazenagem e correio (4,1%), administração pública (1,8%) e comércio (1,8%).

Para o titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, é nítido que o aumento no percentual de pessoas ocupadas está atrelado à recuperação da economia e também aos empregos informais.

“Vemos a expansão das vagas em várias áreas, como resultado da nossa política de geração de emprego e de diversificação da economia. A atração de empresas e incentivo aos negócios tem dado resultado que pode ser visto nos números, ainda que com pequeno crescimento”, destacou o secretário, ao lembrar as empresas instaladas no Estado nos últimos anos, atraídas pelos incentivos fiscais.

Apesar de não gerar mais vagas, o Comércio ainda é o setor que concentra o maior número de postos de trabalho com 247 mil pessoas ocupadas, seguido pela Administração pública com 228 mil pessoas ocupadas.

Os empregos formais gerados são maioria, 50,43% como principal responsável os empregados no setor privado com carteira, 36,13% dos empregos formais. A estimativa é de que em todo o Estado 465 mil pessoas trabalham com carteira assinada, em regime de CLT e outras 145 mil sem a regulamentação formal.

No fim de 2017 o nível de ocupação chegou a 60,7% e o rendimento médio em R$ 2.132, sendo que Mato Grosso do Sul tem população estimada com idade para trabalhar de 2.119 mil pessoas.