• quinta, 18 de outubro de 2018
  • |
  • 22:30
Empreendedores superam os desafios e abrem o negócio em casa mesmo

Separamos dicas para você montar seu negócio na garagem e ser um empreendedor

03/10/2018

Quem nunca pensou em abrir o próprio negócio? Seja para realizar um sonho ou mesmo por necessidade, quem decide empreender pode encontrar alguns percalços pelo caminho. E um dos mais importantes começa já logo no início: com o dinheiro curto, as opções ficam mais limitadas. Nesses casos, uma boa saída é apostar nos chamados negócios de garagem.


Foi pensando nisso que o Sebrae-SP preparou um espaço especial na Feira do Empreendedor SP deste ano 2018. Na área, o visitante que está na dúvida sobre qual área investir poderá conhecer cinco modelos de negócios: loja de bolos caseiros, oficina de bicicleta, esmalteria, assistência técnica de aparelhos eletrônicos, fotocopiadora e papelaria.


"Quase todas as atividades disponíveis no MEI podem ser feitas da garagem de casa", comenta Mariane Primazelli, consultora do Sebrae-SP. Entre os comércios mais comuns dentro desta categoria estão os pequenos salões de beleza, lojas de vestuários e de bijuterias, consertos de celulares e até mesmo oficinas mecânicas.


Algumas dicas podem ajudar o novo empreendedor a delinear melhor o novo negócio e a não cair em armadilhas.


Confira:


1. Verifique a lei de zoneamento da sua cidade


Algumas bairros e regiões são estritamente residenciais. Ou seja, não é permitido, por lei, a abertura de quaisquer tipos de negócios por ali. Isso significa que mesmo que você monte sua loja dentro de casa, ela ainda estará sujeita à fiscalização e pode lhe render uma multa e suspensão do alvará se o seu bairro não permitir comércio.


Por isso, consulte a legislação municipal ou procurar pontos de apoio e informação, como as subprefeituras e os Centros de Apoio ao Trabalhador (CAT).


2. Adequação do espaço


Para deixar o ambiente mais profissional, é fundamental distinguir o que é residencial e o que será usado no empreendimento. Se possível, mantenha inclusive duas portas de entrada separadas. "É importante não esquecer da segurança da sua residência, especialmentes se o seu negócio for porta aberta, como uma loja de roupa", comenta a consultora do Sebrae-SP.


Não se esqueça ainda de fazer uma boa fachada, manter muros e paredes sem pichações e de colocar uma identificação do seu negócio. Além disso, alguns detalhes ajudam a fidelizar a clientela, como cumprir corretamente os horários de funcionamento.


3. Controle financeiro


Um dos principais erros do pequeno empreendedor é misturar as finanças pessoais com as profissionais. Por isso, mantenha o controle das contas. "Anote tudo o que você gasta e o que vende. No final do mês, a conta vai ser simples para verificar se a empresa está lucrando ou se endividando", comenta Mariane.


Não se esqueça ainda que, embora você use energia e água da sua residência, é preciso incluir o gasto adicional no custo da empresa. Uma dica para descobrir qual valor considerar: compare as contas de antes e depois do negócio.


4. Mantenha o estoque sob controle


Controle de perto também para o estoque. É importante anotar tudo o que é vendido. Isso ajuda a fazer as projeções de novas compras, evita o desabastecimento e previne compras em excesso, que podem acabar em estoque emperrado.


No caso das pequenas papelarias, por exemplo, saber quais produtos têm venda regular e estável pode ajudar o empreendedor a negociar compras maiores, a um custo menor, com o fornecedor.


5) Invista na qualidade do atendimento


Grande parte da clientela dos pequenos negócios de bairro vem da própria região. Isso significa que elogios, e também reclamações e críticas, podem ser espalhar com facilidade - e arruinar (ou alavancar) seu negócio.


Por isso, é muito importante manter a qualidade e privar sempre pelo bom atendimento. "Se o empreendedor presta um mau serviço, o bairro inteiro fica sabendo muito rápido", comenta Mariane.



COMPARTILHE PARA SEUS AMIGOS:

Ministério da Saúde - Vacina