Black Friday movimentará R$ 114 milhões em CG; Forbes diz que é dia da fraude

Período de compras com desconto no comércio deve fomentar as vendas

Por Redação 15/11/2017 - 13:36 hs
Foto: Reprodução
Black Friday movimentará R$ 114 milhões em CG; Forbes diz que é dia da fraude
Clientes realmente desconfiam dos descontos oferecidos

A partir do dia 24 de novembro acontece mais um Black Friday, ocasião em que as lojas dão descontos importantes para renovar os estoques, uma ação que deve ter adesão de 44,49% da população economicamente ativa em Campo Grande, movimentando aproximadamente R$ 114 milhões (R$ 113,99 milhões). É o que indica a pesquisa do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS (IPF-MS), realizada entre 18 e 31 de outubro, com margem de erro de 5% e nível de confiança de 95%.

Conforme a pesquisa, 44,49% dos pesquisados pretendem realizar compras durante o Black Friday, desses 54,05% tenderão a comprar nas lojas do Centro, 32,43% nas lojas dos Shoppings e 11,71% na Internet (Gráfico 2). Percebe-se a partir dessas informações que as compras em lojas físicas sobressairão as aquisições virtuais.

Os eletrônicos de uma forma geral lideram o ranking das prioridades a serem compradas durante o evento (24,58%), seguidos pelos celulares (17,80%), roupas (16,10%) e eletrodomésticos (16,10%). Dentre os eletrodomésticos os destaques couberam: a geladeira e fogão. No que se referem aos eletrônicos: televisão e computador. Acerca dos móveis: cama e sofá.

A movimentação estimada considera que, diferentemente das datas comemorativas marcadas por presentes de R$ 50,00 a R$200,00 em sua a maioria, o Black Friday obtém dinamismo com itens considerados de maior preço, como no caso de móveis, eletrodomésticos e eletrônicos, cujo gasto médio será de R$793,18.

Forbes dá titulo de "dia da fraude" ao Black Friday brasileiro

Em 2013, uma das revistas mais conceitudadas do mundo disse que esse tipo de promoção no Brasil nada mais é do que um momento de fraude. "Se nos Estados Unidos, a Black Friday é a largada da temporada de compras de Natal, no Brasil, é uma data para varejistas enganarem consumidores ávidos". Foi assim que o site da revista norte-americana "Forbes" destacou a ação brasileira.

A publicação critica o evento no Brasil, destacando as fraudes e os problemas ocorridos nas edições anteriores, como falta de produtos, demora na entrega e, principalmente, descontos "falsos".

"Se os brasileiros fizessem uma Black Friday direito, eles teriam pessoas acampadas em frente ao [shopping] Pátio Higienópolis quinta-feira à noite", alfinetou o site. "Enquanto a Black Friday nos Estados Unidos é um dia de negócios, no Brasil ele é conhecido como fraude.

Nota da redação

Apesar da revista ter essa imagem das campanhas brasileiras, o DiárioCg acredita que esta é uma maneira de fomentar os negócios, já que as vendas em muitos setores só despencam e o desemprego aumenta. Existem muitas lojas boas e o consumidor deve pesquisar e cobrar os descontos.