Coordenador pedagógico explica que as instituições não devem mutilar os dons naturais dos alunos

Durante a infância há diversas maneiras de descobrir quais são os talentos naturais das crianças.

Por Redação 02/10/2017 - 12:20 hs
Foto: Reprodução
Coordenador pedagógico explica que as instituições não devem mutilar os dons naturais dos alunos
Esse tipo de atividade estimula as crianças de muitas maneiras

Durante a infância há diversas maneiras de descobrir quais são os talentos naturais das crianças, e a escola possui papel fundamental nessa descoberta, visto que as elas são introduzidas as instituições de ensino cada vez mais cedo. Em forma de brincadeiras e atividades lúdicas, os educadores ajudam a criança a soltar sua criatividade e a se descobrir.

O coordenador pedagógico do Colégio Dom Bosco de Campo Grande MS, Lúdio da Silva, acredita que as escolas devem abandonar o pensamento de formar apenas médicos, advogados ou engenheiros, e dar atenção ao dom natural de cada criança, independente da área que ela for seguir quando se tornar adulto.

"A escola tem este papel fundamental de incentivar os talentos de seus educandos. Quando ela cercea este direito da criança ela atua como mutiladora de um dom natural. Falo em direito porque todos precisamos ter a liberdade de escolha daquilo que queremos ser no futuro. Hoje a sociedade valoriza a criatividade, a paixão e a dedicação que as pessoas exercem sua profissão, independente de qual área. Assim, incentivar os talentos faz com a escola atue na valorização de cada pessoa como um ser único, independente de sua área de atuação" diz Lúdio.

A necessidade de incluir atividades voltadas às artes no currículo escolar foi reconhecida pelo Governo Federal quando, em 2016,  sancionou a  lei n° 13.278/16 que exigia que as instituições cumprissem com o estipulado pelos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs). Os parâmetros previam que aulas de artes devessem incluir, dança, teatro e música, tanto no Ensino Fundamental, quanto no Ensino Médio de escolas particulares e da rede pública.

Esse tipo de atividade estimula as crianças de muitas maneiras, não apenas contribuem para a manifestação do talento. Por exemplo:

Música: Ajuda na apropriação da linguagem, na concentração e no desenvolvimento de atividades cognitivas, motoras e sociais da criança.

Dança: Desenvolve uma linguagem diferente da fala e da escrita, ao estimular o corpo a expressar todo seu potencial, aumenta a sociabilidade do aluno e ajuda a vencer a timidez.

Teatro: Minimiza a timidez, melhora a memorização, estimula a criatividade e ensina a trabalhar em equipe.

Segundo o coordenador Lúdio, o Colégio Dom Bosco já se adequou aos parâmetros "A Educação Infantil oferece aulas de musicalização, incentiva o teatro, a música e a cultura de uma maneira geral com festivais, semanas de arte e cultura, apresentações no teatro em datas festivas, aulas de dança, etc. Além disso possibilitamos a apresentações de diversos artistas em nossos espaços, como o teatro e o palco no pátio" afirma. E reforça que os professores e as escolas como um todo não devem desestimular as crianças tampouco os adolescentes "O professor deve sim criar formas para que a criança, adolescente ou jovem seja livre em suas escolhas, sem direcionar para esta ou aquela profissão. O incentivo precisa também ser institucional. A instituição por outro lado, pode ser um agente mutilador deste processo" finaliza.