Sem ninguém para defender, empresários sofrem com impostos e preço da energia

É para cobrir o custo extra com o uso de mais termelétricas que a bandeira tarifária mudou para patamar mais alto.

Por Redação 14/08/2017 - 10:54 hs
Foto: Reprodução
Sem ninguém para defender, empresários sofrem com impostos e preço da energia
Conta de luz tira o sono do empresário

Não tem jeito. Empresariado está enforcado com essa política econômica criada pelo governo federal, e que não foge muito fa política praticada noa Estados e municípios.

A Cobrança aumenta de R$ 2 para R$ 3 a cada 100 kWh de energia consumidos no próximo mês. Alta se deve à falta de chuvas e ao uso maior de termelétricas, que geram eletricidade mais cara. Nenhuma instituição de manifestou até agora.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que durante o mês de agosto vai vigorar a bandeira tarifária de cor vermelha, patamar 1. Isso significa que aumentará para R$ 3 o valor da taxa extra cobrada para cada 100 kWh de energia consumidos. Ao longo do mês de julho, vigorou a bandeira amarela, que implica na cobrança de R$ 2 para cada 100 kWh consumidos.

O preço da nova conta de luz assusta de pequenos a grandes empresários. Uma das justificativas do governo é que as contas públicas não fecham. Ao invés de cortar gastos e economizar, o governo prefere aumentar os impostos cobrados do cidadão, entre eles os empresários.

A evolução das cores da bandeira aponta que o custo de produção de energia no país subiu. Isso ocorre porque a falta de chuvas reduziu o armazenamento dos reservatórios das hidrelétricas, que passam a produzir menos eletricidade.

Para compensar a queda na produção das hidrelétricas, o governo aciona mais termelétricas. Entretanto, essas usinas geram energia mais cara, por meio da queima de combustíveis como óleo e gás natural.

É para cobrir o custo extra com o uso de mais termelétricas que a bandeira tarifária mudou para patamar mais alto. De acordo com o empreendedor Joaquim Santos, que tem um comércio em movimentada avenida da Capital, "é lamentável que ninguém possa defender os nossos interesses. A conta de luz está um absurdo e não entendemos porque disso. O governo está arrancando o nosso coro e se a gente reclamar, tenho a certeza de que ele fará um terrorismo fiscal com a gente, afirma.